Niassa Exporta Produtos Madeireiros Para a Região

Niassa Exporta Produtos Madeireiros Para a Região

Já foi lido 84vezes!

A Kema, uma firma de capitais moçambicanos, localizada no distrito de Chimbunila, província de Niassa, norte de Moçambique, vocacionada ao processamento de produtos florestais de espécies exóticas, vai colocar os seus produtos no mercado dos países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) a partir do próximo ano.

Citado pelo “Notícias”, Tonderai Kachale, director-geral da Kema, que faz parte do grupo Construa, com expressão no comércio de materiais de construção e mobiliário, diz que Botswana, Malawi, Zâmbia e Zimbabwe são os mercados favoritos dos painéis de madeira fabricados com base em resíduos de eucalipto e pinho.

A Kema, resultante de um investimento estimado em 325 milhões de meticais (5.087.080,57 dólares norte-americanos ao câmbio do dia), pretende elevar a posição do país como fornecedor de material de construção e mobiliário na região e no continente, por isso encontra-se numa fase conclusiva de construção, devendo iniciar as suas actividades laborais nos primeiros meses de 2023.

A capacidade de laboração da Kenza será de cerca de 10 mil metros cúbicos por ano, sendo que uma parte da produção vai abastecer o mercado nacional, que se mostra competitivo devido ao ritmo de construções de infra-estruturas de habitação, serviços, comércio, entre outras, ora em curso.

Kachale anotou que o atraso na conclusão das obras de construção da fábrica de painéis de Chimbunila ficou a dever-se ao impacto da Covid-19 que não permitiu a vinda atempada de especialistas chineses para a montagem do equipamento da unidade fabril.

Adicionalmente, havia que implantar uma linha de energia eléctrica de média tensão, direccionada a partir da subestação de Lichinga, numa extensão de 14 quilómetros.

Inicialmente estava previsto derivar a partir da rede pública, mas a Electricidade de Moçambique viria a concluir que esta seria a melhor opção.

Este facto influenciou, igualmente, o atraso na conclusão da montagem da linha de fabrico de contraplacados, que vai assegurar a colocação de cerca de quatro mil metros cúbicos deste material de construção e de mobiliário, no mercado nacional, por ano.

Até este momento, a Kema produziu, em regime experimental, cerca de 400 metros cúbicos de contraplacado.

A Kema tem assegurada matéria-prima das plantações de eucalipto e pinho pertencentes à Florestas do Niassa e à Green Resources, localizadas nos distritos de Chimbunila, Lago, Muembe, Lichinga e Sanga, que totalizam cerca de14 mil hectares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *