Empresários Capacitados em Gestão de Qualidade

Empresários Capacitados em Gestão de Qualidade

Já foi lido 80vezes!

Cerca de 25 empresários das Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPMEs) da cidade de Maputo, a capital moçambicana, beneficiaram esta terça-feira (16) de capacitação em gestão de qualidade.

O objectivo é reforçar a capacidade técnica das MPMEs em certificação de qualidade.

Falando esta terça-feira, em Maputo, na abertura do “Workshop sobre Certificação de Sistemas de Gestão”, o representante do Instituto para Promoção de Pequenas e Médias Empresas (IPEME) IP, Francisco Mabunda, disse que a instituição tem o mandato de implementar acções de assistência técnica e capacitação das MPMEs para o aproveitamento das oportunidades existentes no mercado nacional e internacional.

“Sabemos que o mercado hoje em dia pensa também do lado do consumidor”, referiu Mabunda, deixando claro a necessidade de garantir, ao consumidor, produtos certificados.

A fonte acrescentou que já atingiram, em termos de capacitações, mais ou menos 60 por cento do planificado para o ano corrente.

“Para este ano estão planificadas cerca de três mil empresas em capacitações. Caso todas as capacitações sejam realizadas, achamos que podemos atingir 80 por cento deste universo”, disse.

Revelou que receberam de bom grado as medidas de estímulo a economia, pois vão ajudar bastante as MPMEs e a economia moçambicana como um todo.

Por sua vez, a vice-presidente da Câmara de Comércio de Moçambique (CCM), Yolanda Fernandes, referiu que pretende-se, através da formação, buscar soluções que superem as expectativas para melhor desempenho das exportações e desenvolvimento do contributo da classe empresarial ao processo de desenvolvimento económico do país.

“Pretendemos, num quadro de reflexão conjunta, abordar a importância da certificação e delinear estratégias de como assegurar o acesso das MPMEs aos diversos mecanismos de certificação de qualidade dos seus produtos, forma de contribuir para o desenvolvimento deste segmento empresarial, como parte da classe produtiva nacional”, avançou.

“Esperamos ter um mercado com muita harmonia em termos de cliente, o que ele procura e o que pode ter como serviço. O que estamos a tentar aqui fazer é obter no mercado empresas que se sustentam em termos de qualidade”, acrescentou.

Fernandes disse haver, no território moçambicano, várias empresas que ainda tem défice de formação nessa área, daí que “posso dizer que, em cada 20, talvez uma tenha uma certificação”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

pt_PT