FMI Satisfeito Com as Reformas Feitas Por Moçambique

FMI Satisfeito Com as Reformas Feitas Por Moçambique

Já foi lido 43vezes!

O Fundo Monetário Internacional (FMI) manifesta a sua satisfação com as reformas introduzidas pelo governo moçambicano, que haviam sido recomendadas por aquela instituição multilateral de crédito.

A satisfação foi expressa durante a audiência que o Presidente da República, Filipe Nyusi, concedeu esta sexta-feira, em Maputo, a uma delegação do FMI que se encontra em Moçambique para uma visita de trabalho.

O Chefe do Estado destacou a aprovação do programa de financiamento ao país, afirmando que tal demonstra o cumprimento positivo pelo Governo de Moçambique das reformas necessárias para impulsionar o crescimento sustentável da economia.

“A delegação do FMI manifestou-se satisfeita pelas reformas feitas pelo Governo de Moçambique, e mostrou a sua disponibilidade em continuar a trabalhar com Moçambique, sobretudo no investimento em sectores chaves como a saúde, educação e infra-estruturas”, refere um comunicado da Presidência da República, cuja cópia foi enviado à AIM.

O estadista moçambicano aproveitou a oportunidade para manifestar a sua preocupação em relação à situação da Estrada Nacional nº 1 (EN1), indicando-a como uma via prioritária para a dinamização da economia nacional, e mencionou a disponibilidade do Banco Mundial para financiar a sua reabilitação.

Com uma extensão perto de 2.500 quilómetros, a EN1 liga Moçambique do Rovuma ao Maputo.

Refira-se que esta é uma das maiores preocupações do governo moçambicano devido aos elevados custos envolvidos. Informações recentes do Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos indicam que são necessários mais de 700 milhões de dólares para a sua reabilitação.

Durante o encontro, o estadista moçambicano agradeceu ao FMI, pelo apoio prestado durante os esforços do governo para o controlo dos impactos da pandemia da Covid-19 na economia.

Na mesma ocasião o estadista moçambicano abordou sobre a conjuntura económica, apontando a pressão inflacionista que afecta o mundo como um factor inibidor no cumprimento de alguns objectivos do programa.

O impacto da reforma salarial na Função Pública, com enfoque para a Tabela Salarial Única aprovada pelo Governo, mereceu a atenção do Presidente da República.

Sobre a situação política do país, em particular, Nyusi realçou o retorno das populações às zonas de origem em Cabo Delgado e o Programa de Resiliência e Desenvolvimento Integrado do Norte (PRODIN).

No que concerne a situação de segurança, destacou o apoio dos países africanos no combate ao terrorismo, com destaque para a SADC e o Ruanda, que está a resultar na normalização da segurança naquela província.

Desde Outubro de 2017, os ataques terroristas já ceifaram mais de duas mil pessoas no norte de Moçambique, tendo causado mais de 850 mil deslocados, desencadeando uma crise humanitária.

Entretanto, a situação tende a melhorar nos últimos meses graças ao apoio concedido as Forças de defesa e Segurança de Moçambique pela Missão Militar da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SAMIM) e um contingente militar do Ruanda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

pt_PT