“Mais Peixe Sustentável” Com Financiamento de 446,7 Milhões de Meticais em Sete Províncias

“Mais Peixe Sustentável” Com Financiamento de 446,7 Milhões de Meticais em Sete Províncias

Já foi lido 383vezes!

A ministra do Mar, Aguas Interiores e Pescas, Lídia Cardoso, diz que o sucesso alcançado na primeira fase do programa “Mais Peixe Sustentável” foi determinante para que o mesmo continuasse e expandido.

Neste momento, o programa abrange todos os distritos de sete províncias das zonas norte e centro de Moçambique.

A informação foi prestada pela ministra a jornalistas no final de uma visita de trabalho a província de Nampula.

No entanto, a AIM soube que o financiamento para a fase II do programa “Mais Peixe Sustentável”, lançada há dias pelo Primeiro-Ministro, Adriano Maleiane, no posto administrativo de Namaíta, distrito de Rapale, província de Nampula, é de 446.700.000 meticais (cerca de sete milhões de dólares).

A segunda fase do programa “Mais Peixe Sustentável” é um mecanismo de financiamento comparticipado pelo governo e implementado pelo Ministério do Mar, Águas Interiores e Pescas, através do ProAzul, com a finalidade de melhorar o ambiente de negócios, garantindo maior investimento, produtividade e diversificação das actividades do sector privado no mar.

“O programa começou com uma primeira fase que abrangeu três províncias e como foi bem-sucedida, decidiu-se estender o programa para mais quatro. Há muita adesão. O objectivo é catapultar as iniciativas da cadeia de valor do pescado, quer para a pesca artesanal, quer para aquacultura”, explicou.

Segundo a ministra, a segunda fase do projecto perspectiva a promoção de pequenas e médias empresas como por exemplo de aquacultura, além de manter a assistência aos abrangidos pela primeira que foram os pescadores artesanais que receberam, entre outros, meios para congelar, conservar e transportar pescado.

“Nesta segunda fase do projecto o apoio vai manter-se, mas será mais diversificado, e quem já investiu num determinado momento ou tem uma infra-estrutura pode candidatar-se. Queremos olhar mais além, expandir e apoiar as pessoas que também querem investir na aquacultura, criação de alevinos ou produção de ração”, anotou.

Lídia Cardoso apelou para que se apresentem projectos para avaliação.

O financiamento para as pequenas e médias empresas de aquacultura tem um valor limite de 30 milhões de meticais, e para indivíduos um milhão e meio”.

A fonte informou que a oportunidade de investimento na cadeia de valor do pescado está disponível e os interessados poderão contar com apoio técnico especializado para o desenvolvimento dos projectos que queiram apresentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

pt_PT