CTA Confirma Queda do Desempenho Empresarial

CTA Confirma Queda do Desempenho Empresarial

Já foi lido 200vezes!

Os indicadores técnicos e financeiros que avaliam o desempenho do sector empresarial em Moçambique apontam para uma queda de dois pontos percentuais do Índice de Robustez Empresarial, no primeiro trimestre de 2022, se comparado com o quarto trimestre de 2021, passando de 29 a 27 por cento.

A queda, segundo o presidente da Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA), Agostinho Vuma, deve-se ao efeito combinado do impacto das calamidades naturais que assolaram o país no primeiro trimestre do ano em curso.

De acordo a fonte, esta acção negativa impactou no aumento da inflação influenciando a redução da taxa de juro real, o aumento de custos de matérias-primas com destaque para o petróleo, trigo, óleo alimentar bruto, em grande parte, explicado pelas distorções causadas pelo conflito entre Rússia e Ucrânia.

“Sobre o desempenho empresarial, no primeiro trimestre de 2022, o Índice de Robustez Empresarial a nível nacional registou uma queda face ao IV Trimestre de 2021, em cerca de dois pontos percentuais”, explicou Vuma, na sessão de abertura da VIII edição do Economic Briefing, realizado esta quarta-feira (27), na cidade da Beira, capital da província central de Sofala.

Todavia, a queda foi contrabalançada pelo alívio das restrições que haviam sido impostas como medida de contenção contra a propagação da pandemia da Covid-19 durante o primeiro trimestre, seguido pela declaração do fim do Estado de Calamidade Pública, no passado dia 20 do mês em curso.

O défice de Robustez Empresarial, segundo a fonte, foi acompanhado também pelo abrandamento no índice de tendência de emprego, tendo passado de 125,9 para 115,0, ou seja, uma descida de 10,9 pontos.

‘Isto revela que, por um lado, a obtenção de emprego em Moçambique tendeu a ser relativamente mais difícil no primeiro Trimestre de 2022. Por outro lado, as empresas moçambicanas mostraram-se mais dispostas a contratar trabalhadores temporários no primeiro Trimestre de 2022 em contraposição a trabalhadores permanentes”, lamentou Vuma.

Apesar do défice, segundo a fonte, as províncias de Sofala e Zambézia, na região centro do país, registaram melhorias significativas, passando o top cinco (5) das províncias com melhor desempenho.

Quanto ao índice do ambiente macroeconómico, Vuma avançou que da avaliação feita, os indicadores mostram que houve uma redução de 50 para 49 por cento, o que permitiu aceleração do nível geral de preços, num contexto de estabilidade cambial e das taxas de juros de referência.

Conclui-se que no primeiro trimestre de 2022 que houve uma contracção no desempenho empresarial, facto que, segundo a fonte, demanda a tomada de medidas para assegurar a almejada recuperação empresarial.

A abertura da VIII edição do Economic Briefing decorre numa altura em que o governo acaba de aprovar novos salários mínimos.

“Os consensos alcançados em sede da concertação social representam um esforço adicional significativo para o sector privado, num contexto em que este ainda se depara com problemas de liquidez fruto das crises sucessivas que afectam o seu desempenho e a robustez financeira”, sublinhou a fonte.

Participaram do evento, a secretária de Estado na província de Sofala, Stela Zeca; governador da província, Lourenço Bulha; o presidente do Conselho de Administração da Bolsa de Valores de Moçambique, Salim Valá, e outros convidados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

pt_PT