Deputados Exigem Celeridade na Construção de Casas Resilientes em Niassa

Deputados Exigem Celeridade na Construção de Casas Resilientes em Niassa

Já foi lido 185vezes!

Deputados das Comissões dos Assuntos Sociais, Género, Tecnologias e Comunicação Social (CASGTCS), e da Agricultura, Economia e Ambiente (CAEA), ambas da Assembleia da República (AR), o parlamento moçambicano, exigem maior celeridade e dinamismo na monitoria da construção de habitações resilientes, sobretudo para as populações afectadas pelas intempéries.

Os parlamentares recomendam as autoridades a recorrer aos materiais locais, bem como a prosseguir com as actividades de reabilitação das estradas e outras infra-estruturas danificadas pelo ciclone tropical Gombe.

No entanto, os deputados reconhecem as acções em curso que visam colmatar o sofrimento dos afectados pelo Gombe que, em meados de Março, fustigou as províncias de Nampula e Niassa, norte, e Zambézia, centro do país.

“Encontramos no terreno uma equipa dinâmica e funcional na procura de soluções para uma melhor resposta aos efeitos daquela calamidade natural”, afirmou o vice-presidente da CAEA, Manuel Ramessane, durante um encontro que a Comissão manteve este fim-de-semana, em Niassa, com o respectivo governo provincial.
Assim, a CAEA faz uma avaliação positiva do trabalho que as autoridades governamentais, incluindo os parceiros, realizam em prol das populações afectadas pelo ciclone, sobretudo no distrito de Mecanhelas.

Com 331.239 habitantes, Mecanhelas teve 18 casas destruídas, afectando 103 pessoas, incluindo 72 crianças.

Relativamente ao processo de reabilitação da estrada Cuamba/Mecanhelas, em Niassa, cujas obras deverão iniciar no terceiro trimestre do ano em curso, os parlamentares instaram às autoridades a prestar maior atenção nos aspectos inerentes à elevação das pontes para se evitar eventuais inundações.

No entanto, o secretário de Estado em Niassa, Dinis Vilanculos, acolheu as recomendações dos deputados, afirmando que “tudo faremos para que as populações afectadas não se sintam desamparadas”.

Ambas comissões de especialidade da AR efectuaram visitas de trabalho de cinco dias a Niassa com objectivo de avaliar o impacto do ciclone Gombe naquela região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

pt_PT