Terminal de Ressano Garcia Pode Descongestionar EN4

Terminal de Ressano Garcia Pode Descongestionar EN4

Já foi lido 444vezes!

Pelo menos entre 130 e 150 camiões podem deixar de atravessar diariamente a fronteira de Ressano Garcia para o Porto de Maputo, na capital moçambicana, pela Estrada Nacional Número 4 (EN4), transportando minérios extraídos na República da África do Sul.

O facto resulta da inauguração, quarta-feira (30), do Terminal Internacional Ferroviário de Trânsito de Minérios na região fronteiriça do distrito da Moamba, província meridional de Maputo, com capacidade para manusear 5950 toneladas por dia, o equivalente a um comboio e meio (cerca de 90 vagões).

Segundo o “Notícias”, o ministro dos Transportes e Comunicações, Janfar Abdulai, considera que os minérios, dada a sua característica e volumes envolvidos, constituem carga eminentemente ferroviária, não fazendo sentido que continuem a ser transportados por camiões, provocando o desgaste precoce de estradas.

Justifica que foi nesta base de entendimento que o Governo decidiu pela revitalização da linha férrea de Ressano Garcia para atender à demanda crescente deste serviço.

O ministro observou que hoje se tornou normal um camião percorrer mais de 1500 quilómetros, entre estradas asfaltadas e de terra, para transportar e entregar mercadorias.

Acrescentou que, do ponto de vista económico, o mais vantajoso seria transferir a carga de longa distância para as ferrovias ou para modal marítimo, deixando o camião para as viagens curtas e para a interligação de carga e descarga entre esses modais.

Sublinhou que o investimento de cerca de 20 milhões de dólares para a construção e operacionalização de todo o projecto do terminal é parte das medidas em curso para tornar o Corredor de Maputo mais competitivo e eficiente, bem como gerar mais postos de trabalho no sector dos transportes e comunicações.

Já o presidente do Conselho de Administração da Empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM), Miguel Matabel, foi mais ambicioso ao considerar que a perspectiva da sua empresa é duplicar a actual capacidade de manuseio de carga mineira que actualmente cruza a fronteira de Ressano Garcia para Maputo.

“Queremos passar para três comboios por dia (de 60 vagões cada), correspondendo a 340 camiões por dia. Ou seja, 10.200 camiões/mês podem sair da estrada”, referiu Matabel.

O gestor ferroviário afirmou ainda que, além deste grande benefício de redução do congestionamento do tráfego rodoviário, sobretudo entre Matola e Maputo, bem como o aumento do volume dos minerais transportados na Linha de Ressano Garcia, o terminal quarta-feira inaugurado permitirá a redução da emissão da poluição ambiental, um mal de que todos somos chamados a combater.

O novo terminal resulta de uma parceria estabelecida entre os CFM e a TLG, SA. Foi concebido para receber camiões basculantes da África do Sul das 6.00h às 22.00h, de acordo com o horário de funcionamento da fronteira. No entanto, o terminal está a funcionar 24 horas por dia para o carregamento do minério em vagões, com destino ao Porto de Maputo e Matola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *