Armadores de Pesca Industrial Pedem Revisão do Período de Veda do Camarão

Armadores de Pesca Industrial Pedem Revisão do Período de Veda do Camarão

Já foi lido 120vezes!

A Associação dos Armadores de Pesca Industrial na província central da Zambézia consideram urgente a revisão do período da veda do camarão, e sua implementação em função das especificidades de cada região em Moçambique, bem como dos efeitos nefastos decorrentes das mudanças climáticas.

João Portela, presidente da agremiação, afirma que o início da campanha surge num momento crítico para o sector que, desde 2019, tem vindo a sofrer muitas vicissitudes decorrentes das mudanças climáticas por um lado e por outro da pandemia da Covid-19, que obrigaram as empresas a adaptar-se a nova conjuntura.

Segundo a fonte, o aumento dos custos operacionais contrasta com a queda de receitas devido a baixa produção causada pela limitada operacionalidade das frotas pesqueiras.

Acresce a estes factores negativos a alta de preços de combustíveis, o gasóleo, que representa cerca de 40 porcento dos custos operacionais das empresas de pescas.

A Associação afirma que apesar das adversidades, a paixão pela actividade e profissão permitiu sobreviver até aos dias de hoje, convictos de que brevemente, junto com o governo, encontrarão soluções para ultrapassar os desafios da actualidade.

“É nosso entender e convicção de que as empresas podem pescar mais e no tempo certo de modo a reduzir os impactos dos altos custos de produção e incrementar a produção que se traduzirá em maior receitas e, consequentemente, da capacidade de sobrevivência da empresa”, disse a fonte.

É opinião dos pescadores industriais que as datas de início e do fim de campanhas de pesca de camarão não devem serem estáticas. Este recurso não obedece a calendarização, mas sim a sua biologia e influência dos factores climáticos.

Por isso, os armadores defendem que a campanha pode iniciar relativamente mais cedo, isto é, entre Fevereiro e Março, que são os meses mais produtivos. Em contra partida poderia encerrar mais cedo, ou seja em Setembro.

Insistem que é preciso ter em conta em todo este processo, incluindo o peso das mudanças climáticas na alteração do ciclo do recurso camarão nas águas de moçambicanas.

Um outro facto fundamental está relacionado com a pesca ilegal que, segundo a fonte, a fiscalização é uns factores importantes e crucial para o aumento da produção.

“É espectável ainda que dentro do espírito do diálogo e do trabalho conjunto com governo já é momento oportuno para a revisão do período de veda de camarão”, disse.

A pretensão foi apresentada durante o acto inaugural da abertura da campanha de pesca 2022, havida esta quarta-feira em Quelimane.

Entretanto, o sector das pescas perspectiva para a presente campanha piscatória a captura de 105 mil toneladas de pescado diverso.

O governador da Zambézia, Pio Matos exortou aos potenciais usuários do sector pesqueiro para a observância de uma pesca observando o lema “Pescar, Preservando o Mar e Recursos Pesqueiros”.

“Zambézia possui um enorme potencial pesqueiro com variedade de espécies que contribui para estimular o equilíbrio alimentar da sua população, mas pede-se para a prática de uma pesca responsável e amiga do ecossistema marinho em prol do bem-estar de gerações vindouras.

Matos encorajou aos residentes para evitar a destruição do mangal e o uso de outras práticas nocivas ao meio ambiente.

“Queremos pescadores artesanais, industriais e semi-industriais que se apropriam das orientações emanadas pelo governo para a observância dos demais procedimentos para o exercício da actividade piscatória para o bem de todos”, sublinhou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

pt_PT