Moçambique e ENI Acordam Iniciativas Para Produção de Matérias-Primas para Biocombustíveis

Moçambique e ENI Acordam Iniciativas Para Produção de Matérias-Primas para Biocombustíveis

Já foi lido 226vezes!

O governo moçambicano e a multinacional petrolífera italiana (ENI) celebraram hoje, em Maputo, um acordo de cooperação e desenvolvimento de projectos agrícolas com o objectivo de produzir sementes oleaginosas e óleos vegetais para a produção de biocombustíveis.

Assinaram o acordo a directora-geral do Instituto do Algodão e Oleaginosas de Moçambique, Yolanda Gonçalves, em nome do governo moçambicano, e o director-geral de crude e gás da Eni, Giorgio Vicini.

Ao abrigo do acordo, ambas instituições vão identificar potenciais locais e culturas apropriadas para a produção de oleaginosas e óleos vegetais, com maior foco para as áreas consideradas não competitivas para a produção de alimentos e tendo em consideração a preservação das florestas e dos ecossistemas naturais.

Outras iniciativas incluem a recolha e valorização de resíduos agrícolas e de agro-processamento, de produtos e co-produtos para a produção de matéria-prima e soluções naturais de carbono.

Falando durante o evento, o ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Celso Correia, explicou que a produção de oleaginosas em Moçambique é essencialmente feita pelo sector familiar com o uso mínimo de tecnologias de produção e envolve cerca de 750 mil famílias.

“Portanto, a nossa abordagem de vender para produzir assegurando o mercado e fomentar a produção de forma a garantir os preços competitivos e absorção da produção de oleaginosas está dentro deste acordo que foi assinado’, disse.

Segundo Correia, a política de resultados impele que se tome decisões por vezes ousadas e uma abordagem monitorada para que o benefício real do aumento de consumo de oleaginosas vá para o pequeno produtor.

“É por isso que cá estamos, para assegurar que o pequeno produtor se integre nas cadeias de valor, pois esse acordo não se trata de prover terra como no passado, mas sim assegurar que a produção local possa ter esta oportunidade de entrar nos mercados’, salientou.

Por sua vez, Vicini referiu que a assinatura do acordo vem dar seguimento ao Memorando de Entendimento assinado entre a Eni e o Governo de Moçambique em Outubro de 2019, com vista a definição conjunta de projectos de desenvolvimento sustentável e descarbonização, para apoiar a Agenda Nacional e Local de Desenvolvimento Económico e Social do país.

“Enquadra-se também no compromisso da Eni de acelerar a transição energética nos países produtores de combustíveis fósseis, promovendo a integração do continente africano na cadeia de valor dos biocombustíveis, através de iniciativas de agronegócio e desenvolvimento industrial, destinadas à produção de biocombustíveis avançados que vão ajudar na descarbonização do sector de transportes e na promoção de oportunidades de desenvolvimento’, acrescentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *