Edil Quer Planos de Urbanização com Maior Rigor Técnico

Edil Quer Planos de Urbanização com Maior Rigor Técnico

Já foi lido 198vezes!

O Presidente do Conselho Municipal de Maputo (CMM), Eneas Comiche, advertiu aos topógrafos certificados sobre a importância da estrita observância do rigor técnico, durante a elaboração dos planos parciais de urbanização.

Comiche deixou a advertência hoje, em Maputo, na cerimónia de entrega de 12 certificados a igual número de estudantes finalistas do curso de Topografia, no Instituto Politécnico de Ciências da Terra e Ambiente (IPCTA).

“Insto-vos, a porem em prática os conhecimentos que adquiriram, procedendo aos levantamentos topográfico e fundiário, de forma a garantir o reconhecimento das ocupações existentes no terreno e sobre elas tomar a melhor decisão no acto da planificação”, afirmou.

Comiche disse ainda esperar que façam propostas de intervenção que reduzam, ou evitem a ocorrência de conflitos entre as ocupações já existentes e as práticas culturais.

O edil exprimiu a sua satisfação com a realização do evento num contexto de parceria, pois a instituição de formação dota os seus formandos de conhecimentos teóricos e práticos, e reforça a sua capacidade de intervenção em áreas fundamentais do desenvolvimento do Município de Maputo, nas áreas de ordenamento territorial, ambiente e urbanização.

Com os resultados colectados, o Conselho Municipal irá elaborar os planos parciais de urbanização e de pormenor que permitirão responder aos diversos pedidos de regularização e atribuição de DUAT, bem como assegurar a implantação de serviços que acompanham o crescimento de KaTembe.

Já o representante do director Instituto Politécnico de Ciências da Terra e Ambiente (IPCTA), Euclides Mutule, agradeceu a oportunidade concedida aos estudantes e disse que um dos objectivos específicos desta prioridade é elaboração de planos de urbanização e criar mecanismos de ocupação de espaços adequados de forma a evitar conflitos de terra.

Aliás, segundo Euclides Mutule os recém-graduados tiveram a oportunidade de mostrar os conhecimentos adquiridos ao longo da sua com o levantamento topográfico e uso de equipamentos na área de 500 hectares levantados no bairro de Incassane e Chamissava, no distrito municipal KaTembe.

A representante dos estudantes, Jéssica Langa, confessou que, inicialmente enfrentaram algumas dificuldades pelo facto de ser uma realidade diferente.

“Daqui para frente, esperamos muito trabalho e muita dedicação, estamos prontos para conservar o meio ambiente, pois somos topógrafos, inquiridores, fazemos o levantamento topográfico, o parcelamento e esperamos que o Conselho Municipal nos abranja nos trabalhos porque o mercado de emprego não está fácil para ninguém”, suplicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

pt_PT