INSS Premeia Jornalistas Em Matéria De Segurança Social

INSS Premeia Jornalistas Em Matéria De Segurança Social

Já foi lido 167vezes!

O Instituto Nacional de Segurança Social (INSS) galardoou hoje, em Maputo, nove profissionais de comunicação social que concorriam para a primeira edição de premiação dos melhores trabalhos jornalísticos em matéria de segurança social.

O concurso, cujo premio totaliza 900 mil meticais (cerca de 14 mil dólares americanos) foi lançado em 2021 e envolveu 30 participantes da imprensa escrita, rádio e televisão.

A cerimónia de premiação foi dirigida pelo Vice-Ministro do Trabalho e Segurança Social, Rolinho Farnela

“Nesta primeira experiência ficou estabelecido que seriam abrangidos as categorias de rádio, televisão e imprensa escrita. Assim, coube aos primeiros classificados de cada categoria um valor monetário de 150 mil meticais, um laptop e um diploma de honra”, explicou.

Aos segundos classificados atribui-se o valor de 100 mil meticais, um laptop e diploma de honra e aos terceiros desembolsou-se o valor de 50 mil meticais, tablet e diploma de honra.

“Tivemos, ainda, duas menções honrosas a dois jornalistas pelo reconhecimento dos esforços em trazer assuntos importantes para o INSS”, sublinhou.

Segundo o Vice-Ministro, “com estes prémios, queremos valorizar os profissionais que contribuem para o engrandecimento do sistema de segurança social. Aos jornalistas distinguidos, os prémios devem servir para melhorar a qualidade das peças jornalísticas nestas matérias”.

Por sua vez, o Secretário do Sindicato Nacional dos Jornalistas (SNJ), Eduardo Constantino, disse que o concurso serve para motivar a classe jornalística, uma vez que, trabalha e vive em condições inapropriadas.

“O SNJ aderiu a este projecto por entender que estará a dar o seu contributo na melhoria das condições de vida e de trabalho dos jornalistas em condições inapropriadas. Com os prémios recebidos vão poder melhorar a sua vida”, frisou.

Segundo Constantino “os trabalhos feitos pelos jornalistas resultam de um esforço realizado nas comunidades, em trazer preocupações daqueles que no terreno se debatem com os constrangimentos inerentes a segurança social. Desta forma, a comunicação social está a contribuir para que o INSS se aperceba desses problemas e possa resolver.”

O jornalista da Rádio Moçambique (RM), classificado em primeiro lugar, Victor África, disse que com o tema “situação contributiva das empresas de segurança privada no INSS” pretende alertar o nível de processos envolvendo a estas entidades.

“Já tinha a projecção de fazer esta reportagem, quando vi a oportunidade decidi avançar. Abordei este tema porque, sempre que se fala de dívidas ao INSS, aparecem sempre estas empresas. Então fui atrás das respostas e constatei um fraco desempenho na canalização das contribuições dos seus trabalhadores”, considerou.

Os concorrentes premiados em primeiro contemplam, Raul Senda, do jornal Savana, Águeda Macuácua, da Televisão de Moçambique (TVM) e Victor África (RM).

Os jornalistas Domingos Tomás, Nércia Langa e Hermínia dos Santos foram os segundos classificados, em representação da TVM, Diário de Moçambique e RM, respectivamente.

O último posto foi ocupado pelos jornalistas Jocas Felisberto, Horácio Romão e Cristina Cristiano, do jornal Noticias, RM e TVM respectivamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

pt_PT