Terminais De Granéis Secos De Maputo E Matola Aumentam Capacidade

Terminais De Granéis Secos De Maputo E Matola Aumentam Capacidade

Já foi lido 120vezes!

Terminais de Granéis Secos de Maputo e Matola Grindrod Mozambique Lda. (GML) e o Terminal de Carvão da Matola (TCM), subconcessões da Sociedade de Desenvolvimento do Porto de Maputo (MPDC), estão a ponderar a expansão das suas áreas de ocupação.

A medida visa responder a crescente procura por capacidade de exportação do carvão devido a demanda global do recurso, que atingiu o seu pico em meados de 2021.

A procura ainda regista máximos recorde devido ao aumento dos preços no mercado mundial.

A capacidade de manuseamento do terminal da GML será aumentada, no primeiro semestre deste ano, da actual de 1.5 milhão de toneladas para 4.5 milhões de toneladas por ano.

Enquanto isso, a capacidade actual do TCM de 7.3 milhões de toneladas por ano será aumentada para 12 milhões de toneladas por ano, a curto/médio prazo, e para 20 milhões de toneladas por ano a longo prazo.

“Isto permitirá aumentar as exportações das mineradoras da África do Sul com base num desempenho ano a ano, aumentando o volume de exportações dos utilizadores do porto existentes e promovendo o acesso ao porto a novos clientes”, escreve um comunicado da MPDC enviado.

A fonte refere que “antecipando a crescente demanda por exportações, o TCM começou com a reabilitação de infra-estrutura e substituição de instalações e equipamentos em 2009, que incluiu o aprofundamento e extensão do cais. Um montante de USD 128,7 milhões foi investido até o momento”.

A expansão da capacidade da empresa GML está em curso e o estudo de viabilidade para o projecto de expansão previsto no TCM já foi concluído. Fundamental para ambos os projectos é desbloquear os nós de estrangulamento rodoviários e ferroviários ao longo do corredor.

‘Como equipa, estamos focados na excelência operacional e nunca comprometemos a segurança. A nossa equipe de operações trabalha em estreita colaboração com o cliente, os serviços marítimos da MPDC e o agente da embarcação para garantir que todas as operações ocorram sem problemas e com eficiência’, explica.

Segundo o comunicado, a medida levou a novos recordes no manuseamento de carga – 1 milhão de toneladas em Setembro de 2021.

“O investimento na dragagem do canal, conjugado com a reabilitação e aprofundamento do cais do TCM para -15,4 metros, equipou o porto para receber navios de maior porte e tornar-se mais competitivo na região’, explicou Xolani Mbambo, CEO da Grindrod Freight Services.

Os planos de expansão estão incluídos no novo Plano-Director do Porto de Maputo, que será apresentado ao público no início de Maio de 2022 durante a Conferência do Porto de Maputo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

pt_PT