Primeiro-Ministro Garante que Moçambique Reúne Condições Para Acolher Investimento Estrangeiro

Primeiro-Ministro Garante que Moçambique Reúne Condições Para Acolher Investimento Estrangeiro

Já foi lido 104vezes!

O Primeiro-ministro moçambicano, Carlos Agostinho do Rosário, tranquiliza e garante que o país reúne todas as condições de paz e segurança para receber investimentos estrangeiros, incluindo dos Emiratos Árabes Unidos (EAU).

Carlos do Rosário deixou a garantia, esta segunda-feira, na abertura do Fórum de Negócios Moçambique-Emirados Árabes Unidos, um evento que reuniu os empresários de ambos os países a margem das celebrações do Dia de Moçambique no Expo Dubai 2020.

O governante, que participa no Expo Dubai 2020 em representação do Chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, garantiu aos representantes dos sector privado dos Emirados (EAU) que a paz e segurança estão salvaguardados.

Por isso, o Primeiro-ministro reitera que Moçambique reúne todas as condições para acolher em segurança os empresários dos EAU que queiram a investir no país.

“Primeiro manutenção da paz, estabilidade política e combate ao terrorismo como pré-requisitos fundamentais para que o investimento venha ao nosso país. Como resultado destes esforços, a situação no nosso país de política e de segurança mantém-se estável”, disse o Primeiro-ministro, citado pela Radio Moçambique, emissora nacional.

Carlos do Rosário diz que o governo tem assumido igualmente um compromisso constante de melhorar o ambiente de negócios, para facilitar o investimento privado. Apontou as medidas de âmbito fiscal e monetária como sendo outras acções que o governo tem como enfoque para garantir a estabilidade macroeconómica.

”Aqui também queremos aos empresários dar boas notícias que é assim que no contexto do nosso trabalho, nos últimos anos, temos estado a registar uma inflação média anual de um dígito tendo no ano passado de 2021 alcançado uma inflação de cerca de cinco por cento”, acrescentou.

Para os EAU os empresários moçambicanos levam consigo projectos orçados em cerca de 450 milhões de dólares, na busca de parcerias para financiamento, incluindo as áreas de agroprocessamento, indústria, recursos minerais, logística e transporte, comércio e serviços, segundo o presidente da Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA), Agostinho Vuma.

“Avizinha-se a nossa conferência nacional do sector privado a CASP e, por isso, temos 990 milhões de dólares norte-americanos projectados para a componente da CASP (Conferência Anual do Sector Privado). Portanto, continuamos a busca de parceiros que vão participar da CASP no quadro daquilo que nós desenhamos, portanto que é na CASP todos os horizontes do mundo a participar mas também a criação das salas por sector de actividade que vai promover a presença de muitos parceiros internacionais”, disse.

No fórum de negócios Moçambique EAU os representantes do governo e do sector privado de ambos os países projectam um futuro promissor na cooperação económica bilateral, tendo em conta o potencial existentes nos dois países.

Refira-se que o pavilhão de Moçambique acolheu hoje as celebrações alusivas ao dia nacional, reservado a exposição das potencialidades do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

pt_PT