Veda da Pesca do Camarão e Caranguejo em Vigor a Partir de Novembro

Veda da Pesca do Camarão e Caranguejo em Vigor a Partir de Novembro

Já foi lido 129vezes!

O Governo moçambicano anunciou hoje o início do período de veda da pescaria do camarão de superfície e do caranguejo de mangal, com efeito a partir do dia 01 de Novembro próximo.

A veda e defeso da pescaria do camarão de superfície termina a 31 de Março próximo no Banco de Sofala, para a pesca industrial, semi-industrial e artesanal.

O mesmo período de veda é aplicável para o caso da Baía de Maputo e foz do Rio Limpopo, para a pesca semi-industrial e artesanal.

A veda para o caranguejo de mangal é mais reduzido, pois termina a 31 de Dezembro de 2021.

O director-geral adjunto da Administração Nacional da Pesca, Cassamo Júnior explicou que a veda e defeso para a pescaria de camarão de superfície e de caranguejo de mangal visa garantir a protecção e manutenção, assim como a exploração sustentável dos recursos pesqueiros.

“Com o período de defeso pretendemos proteger determinadas áreas ou épocas, enquanto a veda é um período de interdição da pesca com vista a protecção de juvenis para que possamos ter melhores rendimentos na campanha seguinte e assegurar que os recursos pesqueiros sejam capturados de uma forma responsável, garantir a sustentabilidade da pescaria, a manutenção e a recuperação do camarão de superfície e do caranguejo de mangal”, disse.

Advertiu que durante o período de defeso e veda é proibido adquirir, transportar, manipular o camarão de superfície e caranguejo de mangal. Por isso, apela a todos os operadores para a observância das medidas decretadas pelo Governo para garantir a sustentabilidade das pescarias.

Revelou que no caranguejo de mangal existe um potencial de cerca de 10 mil toneladas, tendo sido registado este ano a pesca cerca de 6.919 toneladas contra 8.400 capturas em 2020.

A redução do caranguejo de mangal deve-se a adopção de algumas medidas, tais como a obrigatoriedade das empresas realizarem a aquacultura do caranguejo do mangal.

“As empresas tinham que nos submeter projectos de aquacultura do caranguejo do mangal, isto fez com que houvesse uma redução do número de empresas a operar em 2020 em comparação com o ano de 2021”, disse.

Com relação à pesca pesca industrial, semi-industrial e artesanal do camarão de superfície, segundo a fonte, regista-se um volume de produção de cerca de 5.901 toneladas em 2021 contra 5.901 toneladas no ano anterior.

Referiu que verifica-se igualmente uma melhoria no rendimento médio diário na pescaria do camarão de superfície na pesca industrial e semi-industrial que passou de 288 quilos para cerca de 340 quilos por dia.

Por sua vez, o director nacional de operações, Leonide Chimarizene, advertiu que a vigência desta interdição será caracterizada por uma fiscalização cerrada, apreensão do produto pescado ilegalmente, artes de pesca nocivas, bem como acções de sensibilização dos pescadores e da sociedade, sobre a importância da estrita observância do período de veda e defeso.

Neste sentido, foram preparadas missões de fiscalização também nos mercados para garantir o cumprimento integral do período de veda e defeso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

pt_PT