Investimento de 600 Milhões de Meticais no Caic Resulta em 20 Mil Toneladas de Arroz

Investimento de 600 Milhões de Meticais no Caic Resulta em 20 Mil Toneladas de Arroz

Já foi lido 110vezes!

O ministro moçambicano da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Celso Correia, defende que a política de resultados, através do Programa de Intensificação de Produção de Arroz suportado pelo SUSTENTA, defendida pelo governo, já tem demonstrações visíveis.

Correia assim se pronunciou nesta quarta-feira, na cerimónia da reinauguração do Complexo Agro-Industrial do Chókwè (CAIC), na província meridional de Gaza, que retoma desta forma o processamento do arroz, após uma paralisação que durou cerca de quatro anos.

A fábrica esteve paralisada, por motivos vários, e, em 2020, o seu retorno culminou com a colheita de cerca de 20 mil toneladas de arroz, numa produção cuja perspectiva, segundo o ministro, é de atingir, ainda nesta época, um terço da capacidade máxima de 30 mil toneladas/ano, num crescendo até a sua capacidade máxima nas próximas duas campanhas.

Para viabilizar o reinício da actividade do complexo, foi feito um investimento de 600 milhões de meticais (9.400.904,23 dólares norte-americanos) no Regadio do Chókwè (HICEP).

“Fizemos um investimento na ordem de 600 milhões de meticais no regadio, o que nos permitiu acrescentar perto de 20 mil toneladas de arroz nesta campanha nos novos 5.000 hectares acrescidos. Eis a materialização de mais uma promessa na esteira da nossa política de resultados. Quando falamos da política de resultados referimo-nos a estes resultados que se vão somando ao longo do país, de inauguração em inauguração, de requalificação em requalificação”, disse.

Na visão do governante, o chamado “arroz Sustenta” já é uma realidade e a fábrica de Chókwe dispõe actualmente de material para processamento, o que garante a sua sustentabilidade, além de que a estratégia de mercado para a campanha 2021/2022 desta cultura inclui também um fundo de estabilização de preços.

“Completamos, assim, a quinta cadeia de valor impulsionada pelo Programa de Intensificação de Produção de Arroz suportado pelo SUSTENTA. O Arroz-SUSTENTA já é uma realidade”, realçou.

O SUSTENTA é um programa nacional de integração da agricultura familiar em cadeias de valor produtivas, que tem como o objectivo melhorar a qualidade de vida dos agregados familiares rurais através da promoção de agricultura sustentável (social, económica e ambiental).

As acções do SUSTENTA estão em conformidade com as cinco grandes prioridades de orientação do Ministério de Agricultura e Desenvolvimento Rural, designadamente segurança alimentar, rendimento familiar, emprego, inclusão social e produção e produtividade.

O ministro disse que a visão do governo “é clara quanto a este processo. Não é trabalho do Estado gerir fábricas. Esta unidade de processamento de arroz estará a cargo do sector privado. E já estamos em negociações avançadas com um operador neste domínio”.

Afirmou que os primeiros sacos do arroz que vão sair do complex servirão às FDS [Forças de Defesa e Segurança] moçambicanas. “Os nossos jovens que estão no teatro de operações quer no Norte como no Centro vão ver reforçadas as suas energias com este produto nacional”, anunciou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

pt_PT